Justiça em Números de 2017 ajuda nas metas do Judiciário para 2018

Servidores do CNJ, Júlio Ferreira de Andrade e Maria Tereza Aina Sadek, acertam detalhes finais do Justiça em Número 2017. FOTO: Gil Ferreira/Agência CNJ

Será divulgado hoje (4/9) o anuário Justiça em Números 2017. O lançamento ocorre durante a Reunião Preparatória do XI Encontro Nacional do Judiciário, no auditório do TSE em Brasília e se estende até amanhã. O evento reúne presidentes dos tribunais e servidores para discutir, com base em dados, o desempenho da Justiça e a apresentação das propostas de metas para o Judiciário em 2018.

“Nenhum poder da República tem um diagnóstico tão abrangente e tão regular quanto o Justiça em Números”, diz Maria Tereza Sadek, diretora do Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ) do CNJ. Ela apresentará o anuário junto ao conselheiro Bruno Ronchetti, presidente da Comissão de Gestão Estratégica, Estatística e Orçamento do CNJ.

“Além da divulgação dos dados estatísticos, é uma contribuição à transparência, uma resposta à sociedade sobre o gasto que ela tem com o Judiciário”, disse Sadek, ao ressaltar que o Justiça em Números faz um retrato do Judiciário brasileiro, com informações detalhadas das atividades de todos os tribunais.

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, abre o evento, às 14h, acompanhada pelo vice presidente do STF, ministro Dias Toffoli. Em seguida, às 14h30, o relatório Supremo em Ação — publicado em junho pelo CNJ — será detalhado. Às 15h, será divulgado o Justiça em Números 2017, ano-base 2016.

A tarde segue com debate com jornalistas, no painel O Judiciário em Pauta, às 16h. Frederico Vasconcelos, Miriam Leitão e Eliane Cantanhêde comporão mesa presidida pelo secretário-geral do CNJ, Júlio Ferreira de Andrade.

Propostas de metas – Cada ramo de Justiça entregará as propostas de metas para 2018 ao CNJ no final do evento. Na primeira atividade desta  terça-feira, os coordenadores setoriais debaterão, por duas horas, os detalhes finais destas metas. “É um momento de reflexão. Sugerimos que o debate do primeiro dia, com os dados do Justiça em Números, seja considerado”, disse Fabiana Andrade, diretora do Departamento de Gestão Estratégica do CNJ.

As metas anuais serão definidas e aprovadas no XI Encontro Nacional do Poder Judiciário, de 20 a 21 de novembro, também em Brasília. Na ocasião, os presidentes dos tribunais aprovarão, por voto, as metas e diretrizes estratégicas para 2018.

Oficina ensina a construir aplicativos – Ainda na manhã desta terça-feira (5/9), o DPJ promove oficina para os técnicos da área de estatística dos tribunais. Os analistas tratarão de automação de relatórios, construção de aplicativos e uso de modelos estatísticos no Judiciário. Haverá espaço para troca de experiências e dúvidas sobre dados e indicadores.

Isaías Monteiro – Agência CNJ de Notícias

Twitter: @PortaldoCareiro
Whatsapp Redação: (92)99191- 9814