“População é peça fundamental na prevenção à corrupção no país”, afirma ministro da CGU

"Todas as iniciativas que os órgãos têm tomado no combate à corrupção nada adiantam sem que a população tome consciência da importância de fiscalizar os atos do poder público do país”, destacou o ministro da CGU.

“O cidadão é peça fundamental na prevenção à corrupção no país”. Foi o que deixou claro o ministro Transparência e Controladoria Geral da União, Wagner de Campos Rosário, durante palestra realizada ontem (24), no plenário do Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). A palestra integrou o ciclo ‘Câmara Aberta: Diálogos da Democracia’, que comemora os 70 anos da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

Wagner Rosário também abordou questões de transparência pública e combate à corrupção, apresentando o funcionamento e resultados do Ministério da Transparência e da Controladoria Geral da União (CGU). De acordo com o ministro, as ações da CGU conseguem evitar mais de R$ 3 bilhões em desvios de recursos públicos federais por ano. “É um esforço integrado e que precisa de apoio do controle social. Todas as iniciativas que os órgãos têm tomado no combate à corrupção, nada adiantam sem que a população tome consciência da importância de fiscalizar os atos do poder público do país”, enfatizou.

Após a palestra, Wagner Rosário também participou de debate conduzido pelo coordenador do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Octávio Paulo Neto, e pelo o controlador-geral do Município de João Pessoa, Severino Queiroz, com a participação efetiva do público presente que lotou o auditório, composto por autoridades como vereadores, deputados estatuais, integrantes do Poder Judiciário, representantes das unidades regionais da CGU na Paraíba e em Pernambuco, além de estudantes.

Otávio Neto ressaltou que a Câmara de Vereadores é uma caixa de reverberação da sociedade e as discussões por ela promovida representam os anseios do povo. “Os gestores têm a obrigação de disponibilizar a informação e torná-la compreensível para que a população possa participar do processo de fiscalização, a fim de ela possa, efetivamente, evitar a corrupção. Precisamos de uma sociedade de propósito, que tenha a consciência de que ela é o patrão e que precisa fiscalizar os atos de seus entes públicos”, afirmou.

Em sua fala, Severino Queiroz afirmou que a sociedade já consegue ter disponível informação, cooptar dados e se fazer ouvir. Para o presidente da CMJP, Marcos Vinícius, o ciclo de palestra está mostrando que a instituição está cada vez mais próxima da população. “Estamos comemorando 70 anos de nossa Casa, realizando discussões importantes e ouvindo personalidades do país para dividir experiências profissionais com a população de João Pessoa”. Ao final do evento, o ministro Wagner Rosário recebeu o certificado por sua participação no ciclo de debates.

Diálogos – O ciclo ‘Câmara Aberta: Diálogos da Democracia’ foi iniciado no último dia 29 de setembro com a presença do vice-prefeito de Recife (PE), Luciano Siqueira. O evento com o ministro da CGU deu sequência à programação pelos 70 anos da CMJP, que deverá se estender até dezembro. Até aqui, já participaram do ciclo de debates o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e a contadora Maria Clara Cavalcanti Bugarim, responsável por colocar Alagoas em primeiro lugar no ranking de transparência pública do país.

Fonte: CGU Com informações da Comunicação CMJP

Whatsapp Redação: (92)99191- 9814