A partir de terça-feira depois da novela “Sol Nascente” o Jornal do Amazonas começa a mostrar uma série de reportagens especiais sobre a BR-319

A partir da próxima terça-feira o Jornal do Amazonas começa a mostrar uma série de reportagens sobre a BR-319 com o Título “BR-319-UM SONHO DE INTEGRAÇÃO”.
A BR-319 liga Manaus a Porto Velho, em Rondônia, cortou a Floresta Amazônica. A estrada é da década de 1970. São 877 quilômetros em condições precárias: parte é de asfalto intacto, parte é barro puro.

A BR-319 é o principal acesso a várias cidades do sul do Amazonas, tais como: Humaitá,Lábrea e Manicoré. Também é o principal acesso a várias cidades do norte do Amazonas, tais como: Careiro da Várzea, Autazes, Careiro e Manaquiri.

Ao longo da estrada, o cenário impressiona. Na chuva, vira um atoleiro. E no período seco, a viagem fica lenta e perigosa por conta dos buracos que se formam. Há mais de 100 pontes pela estrada, a maioria de madeira em condições precárias. Acidentes são comuns na região. A iluminação da rodovia também é precária.