O Natal chegou mais o 13º dos servidores temporários da Prefeitura do Careiro Não!

Imagem das Redes Sociais

Careiro/AM – Se todos são iguais perante a Lei, então porque o governo que tem como slogan “Com a força do povo, Nasce um Novo Tempo” os servidores temporários ainda estão esperando esse novo tempo que não chega nunca, as mesmas práticas se repetem ano a ano e assim mais uma vez chega o Natal e o final de ano e os servidores públicos contratados com contratos temporários com a Prefeitura Municipal do Careiro não receberam até a data de hoje o 13º salário é um direito garantido na Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

CLT  – Segundo a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT não há qualquer diferença entre o empregado que presta um serviço à terceiros e um servidor temporário às autoridades instituídas que necessitam de um trabalhador celetista não é diferente das necessidades de um servidor temporário que continua prestando seus serviços de forma irregular por absoluta ineficiência dos gestores públicos, como se o Poder Público fosse propriedade sua.

Os temporários devem, portanto, receber os mesmos direitos trabalhistas, por razões justas e morais, pois a força de trabalho despendida por um trabalhador à empresa privada ou à particular não difere daquele que prestou serviço a um ente estatal. É preciso deixar bem claro que o Estado, ao reconhecer estes direitos aos servidores públicos temporários e os indenizarem como ocorre com os trabalhadores celetistas, ficará isento da “culpa”, pois foram os gestores contratantes os responsáveis pelo ressarcimento aos cofres da Administração Pública.

Não falta dinheiro –  Prefeituras, governos estaduais e empresas eventualmente deixam de pagar o 13º por falta de dinheiro, não é esse o caso da Prefeitura Municipal do Careiro que até o mês de novembro recebeu recursos federais e estaduais o valor de R$ 55.280.915,06 (Cinquenta e cinco milhões, duzentos e oitenta mil, novecentos e quinze reais e seis centavos). No caso da Prefeitura do Careiro o problema é que o gestor dos recursos públicos gasta mal os recursos que chegam aos cofres da prefeitura, desperdiça muito dinheiro em festas e eventos com o objetivo claro, publico e notório de auto promoção de olho nas eleições municipais de 2020.

A ditadura do Emprego – A falta de emprego no município torna os servidores reféns e submissos a administração municipal e foi imposto a lei do silêncio, ninguém ousa falar ou  publicar alguma opinião contraria a administração municipal, as redes sociais dos servidores, prestadores de serviços e fornecedores são vigiadas por asseclas da administração e esse não é um fato novo já vem de outras administrações, ninguém denuncia nada por medo de não ser contratado no ano seguinte e assim impera a ditadura do emprego e faz valer a frase popular “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Comissão Disciplinar – Foi criado no município a Comissão de Processo Administrativo Disciplinar que é legal não é esse o questionamento, o que não pode é usada como um instrumento para tirar do servidor publico a liberdade de expressão e pensamento um direito garantido no artigo quinto da Constituição Federal que diz que a Liberdade de expressão é um direito fundamental do homem que garante a manifestação de opiniões, ideias e pensamentos sem retaliação ou censura por parte de governos, órgãos privados ou públicos, ou outros indivíduos.

Quem sabe depois da publicação dessa matéria a administração municipal como por um milagre natalino não resolve pagar o 13º salário dos servidores temporários?

Edson Brito da Redação do Portal do Careiro


Whatsapp Redação: 9299191- 9814