Comandantes e adjuntos de comando: uma relação baseada na lealdade

Fonte: Agência Verde-Oliva

A estrutura dos cargos e das funções no Exército permite que oficiais e sargentos executem atribuições de forma conjunta. A constituição das pequenas frações é um excelente exemplo, pois constituem as unidades em que aqueles militares, no início de carreira, exercem funções de comando, de acordo com níveis de responsabilidade, e trabalham em equipe para a conquista dos objetivos comuns do grupo.

Nas pequenas frações, o sargento, por meio da liderança direta sobre seu grupo, executa ordens de seu Comandante imediato no cumprimento de diferentes missões. Além disso, destaca-se a atuação do sargento adjunto, que possui as missões de assessorar seu Comandante e certificar-se de que todas as ordens foram compreendidas e estão sendo corretamente executadas. Esse trabalho conjunto, observados os diferentes níveis de responsabilidade, é sempre pautado na hierarquia e disciplina. Ele é um importante fator a ser considerado nas diversas vertentes de emprego da Força Terrestre, uma vez que as características dos recentes teatros de operações têm demonstrado o emprego cada vez mais descentralizado das frações.

No prosseguimento da carreira dos sargentos, a missão de assessoramento torna-se mais acentuada devido à experiência adquirida ao longo dos anos. Sendo exercido nos diferentes níveis de comando, o assessoramento torna-se uma importante ferramenta de apoio à tomada de decisão dos Comandantes. Hoje, com a criação do cargo de Adjunto de Comando, essa experiência, aliada à capacidade de trabalho dos subtenentes e sargentos, tem sido considerada em apoio ao Comando e em proveito das Organizações Militares (OM).

Os graduados nomeados para o cargo integram o Estado-Maior de suas OM, assessoram o Comandante nos assuntos relativos às praças e executam suas atribuições  alinhados com a intenção daquele. Nessa relação, respeitam os atributos e valores mais significativos da profissão militar, entre os quais se destaca a lealdade. Por ser o valor moral mais relevante da Instituição, manifesta-se pela verdade no falar, sinceridade no agir e fidelidade no cumprimento dos deveres e das responsabilidades assumidas.

A lealdade é um atributo que deve estar sempre presente no ambiente militar. Porém, no relacionamento entre subordinados e comandantes, deve ser obrigatoriamente ser observada, pois ambos assumem responsabilidades e têm deveres que estão estritamente relacionados aos interesses institucionais. Assim, as relações entre Adjuntos de Comando e Comandantes, bem como com os demais integrantes do Estado-Maior, são sempre baseadas na lealdade, possibilitando a construção de um vínculo de confiança que tem demonstrado excelentes resultados. A existência desse importante atributo nessas relações serve de exemplo aos sargentos mais jovens, contribuindo para o amadurecimento e fortalecimento de seus valores morais.

O respeito e a observância aos valores morais contribuem para o aumento da coesão e do espírito de grupo e permitem que o Exército esteja, cada vez mais, preparado para a execução de suas missões constitucionais. Além disso, possibilitam a manutenção da imagem da Força perante à sociedade brasileira como uma das instituições de maior credibilidade do País.

Autor: Sargento Luiz Gustavo da Silva Siston


Whatsapp Redação: (92)99191- 9814